Colômbia: O estupro brutal e assassinato de Rosa Elvira Cely

Print E-mail
Sociedade e Você - Crítica Social
Friday, 08 June 2012 12:03

Colômbia na semana passada reuniu para Rosa Elvira Cely , uma mulher de 35 anos que foi encontrado na madrugada do dia 24 de maio em um Parque Nacional remoto em Bogotá. Rosa tinha chamado o número 123 de emergência duas vezes, e foi o som de um riacho próximo que levou as autoridades ao local onde ele estava inconsciente, tremendo, machucado nas costas, esfaqueado nas costas e empalado, provavelmente com o ramo de uma árvore. Morre de peritonite em um hospital no centro de Bogotá na segunda-feira 28 de Maio.

A notícia apareceu pela primeira vez em um tablóide publicado pelo jornal de grande circulação da Colômbia em 29 de maio, e lentamente aparecer em outras mídias. Cely trabalhou como vendedor de doces em frente ao Hospital Militar, teve uma filha com 11 anos e estava terminando o ensino secundário, querendo se tornar um psicólogo.

Este caso originou brutal assassinato e estupro de uma nova onda de indignação nos meios de comunicação social: marcado como # RosaElviraCely e # NiUnaMás tweeters juntou-se ao comício e mostrou indignação tal. Houve também fortes argumentos sobre se a pena de morte ou prisão perpétua deve ser aplicada a eles violadores e abusadores.

Isso também levou uma demonstração no Parque Nacional se na manhã de domingo 03 de junho, centenas de pessoas compareceram ao comício para exigir justiça. O evento começou às 10 da manhã (hora local) com uma concentração na qual lembrou Cely e muitas outras vítimas de violência (incluindo mulheres assassinadas em Ciudad Juarez, México ). Cerca de 45 minutos mais tarde, as pessoas caminhavam ao local onde encontraram Cely , não rezou, gritou, cantou, e até mesmo um homem chorando pediu desculpas em nome de todos os homens para o crime.

Concentración en el Parque Nacional de Bogotá el 3 de junio de 2012

Concentração no Parque Nacional de Bogotá, em 03 de junho de 2012

Concentración en el Parque Nacional de Bogotá el 3 de junio de 2012

Concentração no Parque Nacional de Bogotá, em 03 de junho de 2012

Cientos de personas caminan al paraje remoto del Parque Nacional donde encontraron a Rosa Elvira Cely

Centenas de pessoas caminham para o site remoto do Parque Nacional onde encontraram Rosa Elvira Cely

Un pendón con una foto de Rosa Elvira Cely cuelga de un árbol cercano al sitio donde la encontraron

Um banner com uma foto de Rosa Elvira Cely pendurada em uma árvore perto do local onde encontraram

Flores, pancartas y velas yacen en el árbol que señala el sitio donde Rosa Elvira fue encontrada

Flores, bandeiras e velas estava na árvore que marca o local onde Rosa Elvira foi encontrado

Este cartel reza: 'Basta de asesinatos, violaciones, quemaduras con ácido. Falta contundencia contra la delincuencia'

Este cartaz diz: 'Não há mais assassinatos, estupros, queimaduras ácidas. Falta dura contra o crime '

Este otro cartel dice 'No fue la falda, no fue el trago, no fue la hora, no fue el lugar. ¡¡NADA!! justifica una agresión sexual. ¡¡Ni una más!!'

O outro sinal diz: "Foi a saia, que era a bebida não era o momento, não era o lugar. NADA! justifica a agressão sexual. Nem mais!

Todas as fotos foram tiradas pelo autor e publicado sob uma Creative Commons - Atribuição [ álbum completo no Flickr ]

Você pode ver mais fotos no Blog do Mike Bogotá [em], eu sou um jornalista em busca do Flickr e do lncognito Flickr (Cali).

Na blogosfera, o jornalista Gloria Ortega Perez postou uma entrada profusamente ilustrado com fotos da concentração. Ele também compilou vários casos recentes de violência de gênero na Colômbia e diz:

Rosa Elvira não morreu em vão. Determinado, antes de perder a consciência, expor o assassino, o sistema de "reação imediata" que nunca reagiu, a unidade de saúde, vida indecente estratificada, a justiça que a impunidade garantida para o seu assassino. Explicamos a todos como sociedade. Para todos os orgulhosos proprietários de uma constituição magnífica, que só existe no papel, mas cujos fundamentos não são os padrões pelos quais as leis, ou que guiam as nossas aspirações como uma sociedade.

Gloria também chamado de "mais justiça e menos manchetes" e disse que era "boquete [cansado] da guerra. Eu chupar na violência contra nossas crianças. Eu estou sugando a resposta para nossos problemas é mais concreto, mais armas, mais balas, mais homens atirando outros homens que são diferentes, mas eles pensam de forma diferente. "

Enquanto isso, Ivan Andrade para o caso é apenas reflexão outro dos problemas da Colômbia :

Os erros infinitos Colômbia juntos para nos lembrar que o terror é a nossa realidade, é difícil lutar contra a carne desprezível e vil como o assassino de Rosa Elvira, porque o sistema lhes permite prosperar e agir como bem entenderem. E então temos apenas a raiva.

Finalmente, Justellie22 destaques o papel desempenhado pelas redes sociais, que salvou do esquecimento e Elvira Rosa tornou-se a voz "roubado".

Na sexta-feira 01 de junho, a polícia prendeu Javier Velasco Valenzuela, 44, o principal suspeito, um colega de Cely -reclusos (incluindo uma condenação por assassinato e uma acusação de ter abusado suas enteadas) . Um segundo suspeito, Mauricio Rojas Ariza, se entregou às autoridades no domingo 3 de junho.

Escrito por Julián Ortega Martínez ° Traduzido por Julián Ortega Martínez · Ver post original [en] ° Comentários (0)
Partilhe: Meneame · facebook · Twitter · reddit · StumbleUpon · delicioso · Instapaper


Font